329-logo-blog-sticky
  • ATIVIDADE ACADÉMICA
    VER PÁGINA

Sintomas / 40 posts encontrados

Fadiga Ocular? Saiba agora quem são os culpados!

A fadiga visual digital é um problema que cada vez mais a população em Portugal, devido à crescente utilização de dispositivos digitais, constitui um dos riscos laborais mais frequentes do século XXI. Esta síndrome começou a ser diagnosticada quando os computadores pessoais se tornaram mais comuns, mas depressa se estendeu a outros tipos de aparelhos.

Estudos revelam que é possível identificar Doença de Alzheimer através de OCT-A

Através de resultados obtidos com recurso à angiotomografia de coerência ótica vários investigadores da Duke University, localizada nos EUA, revelaram que alterações estatisticamente significativas podem ser identificadas nas retinas de pacientes com Alzheimer. Esta novidade foi divulgada num estudo recente, publicado na revista Ophthalmology Retina e, devido ao seu elevado valor científico, merece atenção, pois é de facto uma descoberta entusiasmante.

Análise da Evolução da Densidade Óptica do Pigmento macular com a Idade

O pigmento macular (PM) é formado pelos carotenóides luteína e zeaxantina. Visto que estas moléculas não são sintetizados pelo organismo, a sua obtenção é feita exclusivamente através de fontes alimentares, nomeadamente pela ingestão de gema de ovo e de frutos e vegetais de folhas verdes e cores variadas. Confira esta Análise da Evolução da Densidade Óptica do Pigmento macular com a Idade.

Nevrite Óptica por Sífilis: Análise de Um Caso Clínico

A sífilis consiste numa infecção sistémica provocada pela espiroqueta Treponema pallidum. Apelidada de “grande imitadora”, pode afectar todas as estruturas oculares. As manifestações oftalmológicas podem surgir nos estádios secundário e terciário, sendo a uveíte a alteração mais comum. Saiba mais neste caso clínico de nevrite óptica por sífilis.

Hiperosmolaridade do filme lacrimal e Olho Seco – TearLab

Com o desenvolvimento do sistema de osmolaridade com o TearLab é possível disponibilizar-se um pequeno laboratório no consultório ou clínica, permitindo apenas em alguns segundos, identificar um dos mecanismos principais do Síndroma de Olho Seco: a hiperosmolaridade.

A importância do Rastreio da Ambliopia na idade pré-escolar

A ambliopia é uma diminuição da acuidade visual uni ou bilateral, causada pela privação da visão e/ou uma interação binocular anormal. É aceite e proposto por todos os oftalmologistas pediátricos que as crianças devem ser rastreadas a primeira vez durante o primeiro ano de vida, e posteriormente aos 3 anos, e mais tarde aos 5/6 anos de idade antes da entrada para o Ensino Básico.

Perguntas e Respostas essenciais sobre a Síndrome do Olho Seco

Neste artigo apresento uma lista de perguntas comuns sobre a Síndrome do Olho Seco, assim como as respectivas respostas, de modo a esclarecer as principais dúvidas sobre uma doença ocular cada vez mais presente no quotidiano dos portugueses.

Fadiga visual digital é um dos riscos laborais mais frequentes do século XXI

A fadiga visual digital é um problema que afeta sete em cada 10 portugueses, devido à crescente utilização de dispositivos digitais, constituindo um dos riscos laborais mais frequentes do século XXI. Esta síndrome começou a ser diagnosticada quando os computadores pessoais se tornaram mais comuns.

Causas e Factores de Risco da doença ocular Olho Seco

O Olho Seco é uma alteração em que o olho produz lágrimas em quantidade insuficiente e/ou de má qualidade. A lágrima destina-se a humidificar e lubrificar a superfície do olho. Forma uma película que recobre o globo ocular e a face interna das pálpebras, para que estas durante o pestanejo passem suavemente sobre o olho sem o arranhar ou danificar, funcionando como o óleo de uma máquina.

Já ouviu falar de Degenerescência Macular Relacionada com a Idade?

A Degenerescência Macular Relacionada com a Idade (DMRI) é uma doença que atinge principalmente as pessoas com mais de 60 anos de idade, que resulta do “envelhecimento” da mácula, a zona mais sensível e nobre da retina. Com a alteração da visão central o doente passa a ter dificuldade em ler, escrever, reconhecer as faces, ver televisão, entre outras tarefas.