329-logo-blog-sticky
  • ATIVIDADE ACADÉMICA
    VER PÁGINA

Hiperosmolaridade do filme lacrimal e Olho Seco – TearLab

Home Clinsborges
 

A DOS (Doença do Olho Seco) é causada por condições que aumentam a evaporação do filme lacrimal ou diminuem a produção da lágrima. A osmolaridade elevada tem sido reportada como um marcador global presente em ambos os subtipos da doença (deficiência aquosa e olho seco evaporativo).

O aumento resultante da hiperosmolaridade do filme lacrimal leva à inflamação da superfície ocular, lesões e sintomas. A determinação da osmolaridade é assim um dos fatores essenciais ao diagnosticar a alteração da superfície da ocular, a primeira superfície refractiva do olho.

Com o desenvolvimento do sistema de osmolaridade com o TearLab é possível disponibilizar-se um pequeno laboratório no consultório ou clínica, permitindo apenas em alguns segundos, identificar um dos mecanismos principais do Síndroma de Olho Seco: a hiperosmolaridade.

Em síntese, com o sistema de determinação da osmolaridade do TearLab é possível medir a osmolaridade do filme lacrimal humano, facilitando deste modo o diagnóstico do olho seco em pacientes com suspeita de diagnóstico.

A lágrima cumpre uma função essencial na manutenção da integridade da superfície ocular, protegendo a ação microbiana e preservando a acuidade visual. Estas funções dependem em grande medida da composição e estabilidade da estrutura do filme lacrimal sendo a osmolaridade um aspecto básico e essencial na manutenção da sua homeostase fisiológica.

O TearLab é um sistema simples, muito rápido e que um técnico pode realizar com facilidade.

Uma vez recolhida a lágrima, a caneta emite um sinal sonoro e a luz verde desliga-se. Os resultados aparecerem num painel expressos em mOsml/l. Não é necessário qualquer cálculo.

O intervalo de medidas é linear de 275 a 400 mOsml/L.

Os Valores de Osmolaridade de Lágrima de Referência para níveis de Osmolaridade Normal e Olho Seco são:

Acima de 308 mOsml/L considerado Olho Seco.

Quando maior a osmolaridade maior a gravidade da doença.

Variabilidade de mais de 8 mOsml/L entre os dois olhos é igualmente sugestiva de Olho Seco.

Em conclusão, a medição da osmolaridade durante o planeamento cirúrgico pode ser muito efetiva na identificação de pacientes com alta probabilidade de surpresas refrativas por uma queratometria inadequada.

Share this article

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *