Estrabismo divergente: causas e perigos para o paciente

Também conhecido como exotropia, o estrabismo divergente é um tipo de estrabismo em que um olho mantém a fixação, enquanto o outro se desvia para fora na direção oposta ao nariz. Como consequência surgem frequentemente situações de diplopia ou visão dupla, em que o objeto focado parece duplicar-se numa espécie de ilusão de ótica.

Ao afetar o alinhamento dos olhos, o estrabismo acaba por condicionar a capacidade do cérebro de processar informação em três dimensões.

Quando um dos olhos se move, uma informação diferente da que está a ser enviada pelo olho fixo é enviada para o cérebro através dos nervos óticos. Nestas situações, o doente perde a noção de profundidade e da capacidade de visão binocular.

Os sintomas de estrabismo divergente costumam surgir na infância: os primeiros sinais surgem de forma pontual em situações como sonambulismo, quando a criança não se sente bem ou quando está mais cansada.

O desvio tem tendência a acontecer quando olha para o longe e é normalmente desvalorizado. Para compensar a visão dupla, é frequente coçar ou semicerrar os olhos.

Com o passar do tempo, o estrabismo divergente tem tendência a progredir. Aos poucos os olhos começam a desviar-se mesmo quando se está a olhar para objetos que se encontram a distâncias mais curtas.

Se o problema for ignorado e não diagnosticado, pode culminar no desvio permanente do olho estrábico e a perda total da visão binocular.

Quando o estrabismo é manifestado em criança, há uma tendência para que o cérebro tente ignorar e corrigir o desalinhamento, processando apenas a imagem do olho fixo.

Causas e tratamento do estrabismo divergente

A causa do estrabismo divergente é a mesma que a dos outros tipos de estrabismo. O movimento dos olhos é controlado por seis músculos que se coordenam para que ambos os olhos se foquem no mesmo objeto.

Quando um ou mais músculos não se movimentam corretamente, ocorre o estrabismo. Surge muitas vezes associado a miopia de grau elevado, problemas que afetam o cérebro, como paralisias de nervos (que pode ocorrer em crises do diabetes), tumores cerebrais, entre outras causas.

Para garantir o acompanhamento e tratamento corretos, é importante que seja feito um diagnóstico completo. Este diagnóstico terá em conta vários fatores, como movimento do olho ou a evolução do estrabismo.

Atualmente, existem já várias formas de tratar o problema, desde óculos corretivos até terapia com recurso a adesivos/oclusores. Muitas vezes, a solução passa por uma intervenção cirúrgica.

causas do estrabismo, estrabismo divergente, estrabismo divergente causas, estrabismo divergente cirurgia, estrabismo divergente concomitante, estrabismo divergente exercícios, estrabismo divergente intermitente, estrabismo divergente tratamento, estrabismo fisiológico, estrabismo tipos, exercicios estrabismo divergente, exotropia, o que é estrabismo divergente, oftalmologia pediátrica, vista cansada

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Marcar Consulta

Necessita de algum esclarecimento ou de agendar uma consulta de oftalmologia?

Utilize um dos contactos disponibilizados.