329-logo-blog-sticky
  • ATIVIDADE ACADÉMICA
    VER PÁGINA

Estrabismo em crianças: tudo o que precisa de saber

Normalmente descrito como a perda do paralelismo entre os olhos, o estrabismo resulta de um desequilíbrio na coordenação dos músculos oculares que são incapazes de coordenar em simultâneo a deslocação de ambos os olhos. No estrabismo em crianças, é importante que os pais estejam atentos para identificar os primeiros sintomas e fazer o correto acompanhamento junto de um oftalmologista especializado.

Home Clinsborges

Normalmente descrito como a perda do paralelismo entre os olhos, o estrabismo resulta de um desequilíbrio na coordenação dos músculos oculares que são incapazes de coordenar em simultâneo a deslocação de ambos os olhos.

O diagnóstico da doença é fundamental, já que deve ser corrigida o mais precocemente possível. No estrabismo em crianças, é importante que os pais estejam atentos para identificar os primeiros sintomas e fazer o correto acompanhamento junto de um oftalmologista especializado.

É comum os bebés não nascerem com a coordenação dos músculos oculares completamente desenvolvida, o que pode só acontecer pelos seis meses após o parto.

Para ter a certeza de que o estrabismo foi completamente corrigido é aconselhável que os pais levem a criança a um oftalmologista por volta desta idade.

A vigilância deve ser mantida até aos dois anos de idade, altura em que os músculos acabam por se desenvolver completamente. Até aos sete anos, os problemas detetados devem estar resolvidos para que não haja perigo de sequelas. É importante salientar que raramente a doença não desaparecerá sem o devido tratamento.

Como identificar o estrabismo em crianças?

Identificar casos de estrabismo infantil é difícil. O sintoma mais comum é o desvio ocular, mas nos casos em que este é ligeiro o problema poderá passar despercebido aos pais.

É também motivo de confusão a existência de um nariz largo, que pode dar a impressão de haver um estrabismo convergente.

A dificuldade em verbalizar é outro entrave. Além disso, é comum o cérebro infantil criar mecanismos de supressão que fazem com que a criança se defenda contra o estrabismo anulando a visão do olho desviado. Enquanto nos adultos, a visão dupla é facilmente detetada, nas crianças esta é suprimida.

Entre os sinais a que deve estar alerta destacam-se o fechar do olho estrábico para evitar a visão dupla ou o alterar da posição da cabeça para compensar o desequilíbrio na imagem.

Filhos de pais estrábicos ou que tenham familiares estrábicos, presença de familiares que usem óculos com graduação elevada ou de visão baixa em um dos olhos, são indicadores de que a criança deve ser examinada por um oftalmologista o mais precocemente possível.

Tratamento do estrabismo infantil

Qualquer tratamento de estrabismo infantil deve ser pensado e ajustado de acordo com a situação específica de cada criança. Quando esta tem menos de 3 anos, são feitos normalmente exercícios oculares orientados por um oftalmologista: com o olho não desviado tapado, a criança é estimulada a usar o olho desviado na tentativa de melhorar a qualidade de visão deste e promover as condições necessárias para o uso simultâneo dos dois olhos em paralelo.

Frequentemente a utilização de óculos ajuda a que o tratamento seja mais eficaz, melhorando a qualidade de visão e/ou forçando a correção do desvio.

Nos casos em que o estrabismo é devido ao posicionamento indevido dos músculos que movimentam os olhos, é necessária a correção cirúrgica do desvio, após se estimular melhor qualidade de visão do olho desviado.

Share this article

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *