329-logo-blog-sticky
  • ATIVIDADE ACADÉMICA
    VER PÁGINA

Entrevista de Salgado Borges na ExLibris sobre Oftalmologia Contemporânea – Parte I

De acordo com José Salgado Borges, “há diversos trabalhos que sustentam, inclusive, que a exposição prolongada e cumulativa às radiações UV aumenta a suscetibilidade à Degenerescência Macular relacionada com a Idade (DMRI)".

Home Clinsborges
 

Em Setembro de 2014 fui entrevistado pela revista ExLibris®, onde abordei temas relacionados com a Oftalmologia contemporânea, tendo como foco as cirurgias que melhoram a vida dos doentes. Relembro aqui então partes relevantes dessa entrevista.

Em entrevista ao ExLibris®, José Salgado Borges, então coordenador da Unidade de Oftalmologia do Hospital Escola da Universidade Fernando Pessoa, tece um retrato da Oftalmologia contemporânea, evidenciando as técnicas cirúrgicas minimamente invasivas que potenciam a qualidade de vida do doente.

Os cuidados que os olhos merecem

À primeira manifestação de luz, o gesto imediato é colocar os óculos de sol e esta é, efetivamente, uma necessidade em todas as faixas etárias. Na criança, por exemplo, o cristalino – a lente dos olhos – não tem capacidade para filtrar a radiação ultravioleta, “pelo que é fundamental a protecção com óculos de sol adequados”, recomenda o especialista.

Porém, há também outros segmentos da população que, por um conjunto de fatores, carecem de uma atenção especial no momento da aquisição de óculos de proteção solar, cujas lentes devem absorver 99 a 100% da luz ultravioleta.

De acordo com José Salgado Borges, “há diversos trabalhos que sustentam, inclusive, que a exposição prolongada e cumulativa às radiações UV aumenta a suscetibilidade à Degenerescência Macular relacionada com a Idade (DMRI) – uma doença que atinge principalmente pessoas com idades superiores a 55 anos, e que resulta do envelhecimento da mácula, a zona mais sensível da retina.

Estudos realizados denotam que populações com exposição solar acentuada têm maior predisposição para desenvolverem a DMRI, ao passo que habitantes de zonas rurais apresentam uma tendência inversa”.

Além dos factores de ordem ambiental, que obrigam a correta prescrição de óculos especiais de protecção, “também a alimentação e suplementos de vitaminas/ antioxidantes são fundamentais para atrasar ou reduzir a gravidade da DMRI. Torna-se, pois, importante a adoção de uma dieta equilibrada e rica em antioxidantes, como a luteína e o ómega 3, e a ingestão de vitaminas, entre elas a C, pois estes elementos são capazes de proteger a retina dos efeitos nocivos das radiações UV. Mas, há outros problemas associados à exposição prolongada à luz UV, nomeadamente os tumores da pele que circunda o olho e o melanoma intraocular”.

Por outro lado, nos pacientes submetidos a cirurgia às Cataratas, o perigo é bem maior se as lentes intraoculares colocadas no lugar do cristalino, que é retirado, não tiverem protecção adequada com filtros ultravioletas.

Sendo a cor dos óculos o critério menos relevante, este obedece exclusivamente ao gosto pessoal, mas “mais importante do que tudo isto é perceber que cada pessoa tem necessidades específicas, dependentes da sua condição ocular, pelo que se deve consultar um oftalmologista para um rastreio visual periódico”, recomenda o especialista.

Leia agora a segunda parte desta entrevista aqui neste link Entrevista de Salgado Borges na ExLibris sobre Oftalmologia Contemporânea – Parte II

Share this article

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *