329-logo-blog-sticky
  • ATIVIDADE ACADÉMICA
    VER PÁGINA

Enucleação e evisceração: qual a diferença entre as cirurgias oculares?

Tanto a enucleação como a evisceração são cirurgias para remoção do globo ocular que se utilizam em casos em que o problema é irreversível. Falamos, por exemplo, de tumores cancerígenos ou de situações de traumatismos ou acidentes graves. Em que situações são usadas estas cirurgias oculares? Descubra neste artigo.

Tanto a enucleação como a evisceração são cirurgias para remoção do globo ocular que se utilizam em casos em que o problema é irreversível. Falamos, por exemplo, de tumores cancerígenos ou de situações de traumatismos ou acidentes graves.

Na enucleação o globo ocular é totalmente removido, na evisceração apenas é removido o conteúdo do globo ocular, ficando preservadas as camadas externas do olho. Esteticamente, o resultado é semelhante, após adaptação de uma prótese ocular.

Em que situações são usadas estas cirurgias oculares?

Por ser decisão a ser tomada em situações extremas e terem um impacto estético elevado, tanto a enucleação como a evisceração apenas são usadas caso haja risco para a saúde do doente e comprometimento da qualidade de vida. Normalmente, o procedimento é aplicado em circunstâncias em que:

Há perda irreversível da visão.

A reconstrução do globo ocular é impossível.

A estética do olho está ou ficará comprometida devido à doença.

A permanência do olho causa dor acentuada ao doente.

Na enucleação são preservados os músculos responsáveis por fazer com que o olho se mova. Nestes casos, a solução passa normalmente por colocar uma prótese ocular que acompanhará o doente para o resto da vida.

Na evisceração, uma vez que uma parte do olho ainda se mantém, a prótese apenas deverá ser colocada após nova cirurgia. Os músculos também são mantidos, bem como a esclera, a conjuntiva. Em ambos os casos, é possível que a prótese tenha algum movimento.

Geralmente, a prótese não é vista como algo opcional. Após o período pós-operatório (mais ou menos entre 5 a 6 semanas), a prótese deverá ser colocada de maneira a que a restante estrutura ocular não fique atrofiada.

Atualmente existem diferentes tipos de próteses (em porcelana ou resina sintética). Os moldes devem ser feitos à medida e de acordo com as especificações do oftalmologista.

Devido às implicações psicológicas da cirurgia, é importante que o doente seja simultaneamente acompanhado por um psicólogo especializado que ajude no processo de adaptação a uma nova forma de viver. 

Share this article

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *