329-logo-blog-sticky
  • ATIVIDADE ACADÉMICA
    VER PÁGINA

Quais são os tipos de hipermetropia que existem?

Muitas vezes confundida com miopia ou astigmatismo, a hipermetropia é vulgarmente descrita como a dificuldade de ver ao perto. O desfoque é o resultado de uma anomalia refrativa que impede os raios luminosos de chegarem ao ponto da retina onde se forma a imagem que vemos. Confira neste post os tipos de hipermetropia.

Muitas vezes confundida com miopia ou astigmatismo, a hipermetropia é vulgarmente descrita como a dificuldade de ver ao perto. O desfoque é o resultado de uma anomalia refrativa que impede os raios luminosos de chegarem ao ponto da retina onde se forma a imagem que vemos.

Na maior parte dos casos, a hipermetropia resulta de um desenvolvimento congénito anómalo.

Os hipermétropes têm normalmente um olho mais pequeno do que o normal, fator que pode ser corrigido através do uso de óculos, lentes de contacto ou através de uma intervenção cirúrgica, como a cirurgia refrativa LASIK.

Por estar relacionado com a dimensão do olho, a hipermetropia é muitas vezes identificada em crianças, cujo olho ainda está em desenvolvimento.

Em casos normais, o valor da hipermetropia vai normalmente reduzindo à medida que o olho cresce, pelo que é comum crianças que necessitavam de usar óculos deixarem de necessitar deles já na idade adulta e que pequenos valores de hipermetropia são aceitáveis em crianças com pouca idade.

Ainda assim, é importante salientar a importância de acompanhamento especializado uma vez que alguns casos de hipermetropia estão associados a estrabismo e/ou prejuízo no desenvolvimento da visão (ambliopia).

Para identificar o problema é necessário estar atento a alguns sintomas. O mais comum é a dificuldade em ver objetos ao perto. Visão desfocada, vista cansada, dores de cabeça frequentes, falta de concentração e dificuldade em ler durante algum tempo são outros sinais a que deve estar alerta.

Conheça os 2 tipos de hipermetropia

Existem dois tipos de hipermetropia. A distinção entre ambos é feita de acordo com a origem do problema. Vejamos cada uma com mais detalhe:

Hipermetropia axial: ocorre quando o globo ocular é mais curto do que o normal. Verifica-se normalmente nas crianças, cujo olho ainda está em desenvolvimento. Nestes casos, há um aumento do raio de curvatura e/ou uma diminuição da curvatura das faces do cristalino.

Hipermetropia refrativa: ocorre quando existe alteração do índice de refração do cristalino.

A identificação do tipo de hipermetropia é fundamental para o correto acompanhamento por parte de um oftalmologista.

Share this article

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *