329-logo-blog-sticky
  • ATIVIDADE ACADÉMICA
    VER PÁGINA

Síndrome de Sjögren: como se manifesta e quais as implicações na visão

Normalmente começa por ser manifestar através de um desconforto nos olhos, cujos principais sintomas são a sensação de secura, vista cansada, ardor ou sensação de areia nos olhos. É assim o Síndrome de Sjögren, uma doença crónica rara que inverte o propósito do sistema imunitário. Saiba mais neste artigo.

Home Clinsborges
 

Potenciadora de vários problemas de saúde, a Síndrome de Sjögren é uma doença crónica rara que inverte o propósito do sistema imunitário. Em vez de proteger os órgãos contra agressões exteriores, o sistema imunitário na Síndrome de Sjögren ataca e danifica as estruturas do organismo, pondo em causa o seu bom funcionamento.

Os principais órgãos atingidos são as glândulas exócrinas que incluem as glândulas salivares, lacrimais ou as glândulas da pele.

Além destas, também os canais de comunicação do corpo com o exterior são afetados, nomeadamente canais respiratórios e, no caso da mulher, a vagina. Articulações, músculos, sistema nervoso, vasos sanguíneos e sistema urinário podem também ser atingidos.

Embora rara, a Síndrome de Sjögren não tem cura. Atualmente, estima-se que nos Estados Unidos da América existem entre um a quatro milhões de pessoas com este problema.

Ao todo, pensa-se que a síndrome afeta 0,2% da população mundial. A maioria dos diagnósticos são feitos depois dos 40 anos e, no que diz respeito ao sexo, o feminino é o mais afetado: as mulheres têm nove vezes mais probabilidades de sofrer de Síndrome de Sjögren do que os homens.

Qual o impacto da Síndrome de Sjögren na visão?

No que toca à perturbação ocular, a xeroftalmia é a consequência mais comum da Síndrome de Sjögren. O nome técnico pode ser traduzido como secura de olhos, causada pela redução das lágrimas produzidas, ou a sua qualidade deficiente, dado o impacto da doença nas glândulas lacrimais.

Esta falta é a causa de um desconforto nos olhos, cujos principais sintomas são a sensação de secura, vista cansada, ardor ou sensação de areia nos olhos. Quem sofre de xeroftalmia pode também sentir uma maior sensibilidade à luz ou começar a sentir que a visão se está a turvar.

Como consequência, poderão também surgir pequenas infeções, já que o organismo não é capaz de produzir quantidade suficiente de lágrimas.

Num cenário normal, as lágrimas (constituídas por proteínas e outros componentes importantes) seriam responsáveis por fornecer nutrientes às células da córnea, lubrificar e protege-la contra infeções.

O problema pode ser minimizado mediante acompanhamento médico. Um oftalmologista poderá recomendar a utilização de lágrimas artificiais, gotas ou pomadas que ajudarão a reduzir o desconforto.

Share this article

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *