329-logo-blog-sticky
  • ATIVIDADE ACADÉMICA
    VER PÁGINA

Abordagem Cirúrgica Sequencial do Queratocone III: Tratamento Cirúrgico Sequencial

Até ao final da década de 90 a deterioração visual era tal que em cerca de 20% dos casos a única solução passava pela realização de um transplante perfurante da córnea ou queratoplastia penetrante.

O principal objetivo do tratamento do queratocone consiste na reabilitação visual e na tentativa de estabilização da sua progressão. A educação do doente e da família são fundamentais, sendo muito importante o conselho de evitar coçar os olhos, o tratamento da alergia ocular e uma reabilitação ocular adequada.

Numa primeira fase a correcção com óculos pode ser suficiente, mas as lentes de contacto continuam a ser a melhor forma de se restituir uma boa acuidade visual a estes doentes (Quadro 1).

Vários tipos de lentes de contacto podem ser utilizadas consoante a irregularidade da córnea a corrigir mas, para já, não existe evidência que permita afirmar que as lentes de contacto possam impedir a progressão da ectasia corneana no queratocone em evolução.

Do ponto de vista cirúrgico podemos considerar basicamente duas finalidades na actuação: uma que procura efectuar uma reabilitação óptica ou refractiva adequada e outra, estrutural, que pretende alterar/regularizar a superfície corneana e eventualmente diminuir a progressão da patologia (Quadro 2).

Até ao final da década de 90 a deterioração visual era tal que em cerca de 20% dos casos a única solução passava pela realização de um transplante perfurante da córnea ou queratoplastia penetrante.

Nos últimos anos, o avanço das técnicas cirúrgicas tais como a queratoplastia lamelar, o aperfeiçoamento das lentes intraoculares fáquicas e o aparecimento dos implantes de segmentos de anel corneano têm fornecido mais opções para o doente com queratocone.

Contudo, todas estas soluções tendem a regularizar a superfície corneana e/ou a corrigir o erro refractivo sem no entanto impedirem a progressão da doença. Este papel de estabilizador da evolução do queratocone está atualmente limitado ao Cross-linking (CXL) (Quadro 1) e post anterior, intitulado Abordagem Cirúrgica Sequencial do Queratocone II: Cross-linking (CXL).

Este é terceiro artigo de uma série dedicada à Abordagem Cirúrgica Sequencial do Queratocone.

Confira o primeiro artigo em Abordagem Cirúrgica Sequencial do Queratocone I: Definição e Diagnóstico

E também o segundo artigo em Abordagem Cirúrgica Sequencial do Queratocone II: Cross-linking (CXL)

Share this article

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *