329-logo-blog-sticky
  • ATIVIDADE ACADÉMICA
    VER PÁGINA

Ptose palpebral: entenda a doença das pálpebras caídas

É conhecida como a doença das pálpebras caídas e tem sido alvo da atenção dos cirurgiões estéticos. Na maioria dos casos, a ptose palpebral tem apenas implicações visuais, mas há situações em que o problema pode comprometer a visão ou ser sinal de doença neurológica. Conheça as suas causas e o seu tratamento.

É conhecida como a doença das pálpebras caídas e, nos últimos tempos, tem sido alvo da atenção dos cirurgiões estéticos. Na maioria dos casos, a ptose palpebral tem apenas implicações visuais, mas há situações em que o problema pode comprometer a visão ou ser sinal de doença neurológica. Neste artigo exploraremos as causas da ptose, bem como o seu tratamento.

Quando uma pálpebra é mais caída do que a outra, estamos perante uma situação de ptose unilateral. Embora este seja um problema de saúde, a ptose é muitas vezes desvalorizada e tida como uma causa natural do envelhecimento. Dependendo das situações, a ptose palpebral pode ser leve ou acentuada.

Nos casos mais graves, o cair da pálpebra pode interferir com a visão, chegando a causar danos irreversíveis.

O mais comum é provavelmente a ambliopia, também conhecida como olho preguiçoso acontece nos casos de ptose em idade importante para o desenvolvimento da visão, do nascimento aos 4 anos.

Quais as causas da ptose palpebral?

A ptose palpebral ocorre quando existe um enfraquecimento dos músculos responsáveis por abrir e fechar a pálpebra.

O envelhecimento é um dos fatores por detrás do problema que também poderá estar associado a problemas neurológicos ou a uma má formação dos músculos. Neste sentido, o problema não deve ser desvalorizado: caso surja, é importante perceber a sua origem.

Adicionalmente, o problema pode estar ligado a outros fatores, como a diabetes ou a hipertensão arterial. A própria estrutura do rosto pode também influenciar o desenvolvimento do problema.

Tratamento da ptose palpebral

O tratamento da ptose palpebral está condicionado por diferentes fatores. Entre eles, o estado da própria ptose, a altura da pálpebra, a força do músculo e a idade do doente.

Nos casos mais graves ou caso o doente não se sinta confortável, a cirurgia pode ser considerada como opção. Nestes casos, o procedimento será executado no sentido de levantar as pálpebras garantindo não só uma melhor aparência, como também uma melhor visão.

Share this article

Comentários

  • Avatar
    1 October, 2018

    Olá,

    Eu sofro de ptose palpebral há vários anos, nunca fui operada e ainda sou jovem… Gostaria de saber que hospitais aconselha em Portugal e os preços das cirurgias.

    Cumprimentos

    • Prof. Doutor Salgado Borges
      Prof. Doutor Salgado Borges
      18 February, 2019

      Olá, muito obrigado pela sua questão. Pelo menos na zona Norte de Portugal recomendo a Drª. Sandra Prazeres, especialista em oculoplástica. Cumprimentos

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *